Obesidade

pagObesidad

Obesidade: O que é? Quais suas causas?

Sobrepeso e obesidade são duas classificações para faixas de peso acima do que é considerado saudável para uma determinada altura. Tais termos também identificam faixas de peso associadas a doenças e outros problemas de saúde.

Para os adultos, sobrepeso e obesidade são determinados através do peso e da altura da pessoa, em um cálculo chamado de "índice de massa corporal" (IMC). O IMC é usado porque, para a maioria das pessoas, está relacionado diretamente com a quantidade de gordura corporal.

Um adulto que tem IMC entre 25 e 29,9 é considerado com sobrepeso. Um adulto que tem um IMC de 30 ou mais é considerado obeso. É importante lembrar que o IMC não mede diretamente a gordura corporal. Assim sendo, algumas pessoas, como atletas, podem ter um IMC que os identifica com sobrepeso, embora eles não tenham excesso de gordura.

O que causa a obesidade?

A obesidade ocorre quando uma pessoa consome mais calorias do que consegue queimar. Para muitas pessoas isso se resume a comer muito e se exercitar pouco. Mas há outros fatores que também desempenham um papel na obesidade. Estes podem incluir:

Idade: conforme você envelhece, a capacidade do organismo de metabolizar alimentos desacelera e você não precisa de tantas calorias para manter seu peso. É por isso que as pessoas, mesmo mantendo hábitos alimentares e de atividades físicas, ao envelhecer ganham peso.

Gênero: As mulheres tendem a ter mais sobrepeso do que os homens. Os homens têm uma taxa metabólica mais elevada, queimam mais energia em repouso do que as mulheres. Portanto, homens requerem mais calorias para manter seu peso corporal. Além disso, após a menopausa a taxa metabólica das mulheres diminui.

Genética: Obesidade (e magreza) tende a ocorrer em famílias. Em um estudo com adultos que foram adotados quando crianças, os pesquisadores descobriram que seus respectivos pesos estavam mais próximos de seus pais biológicos do que de seus pais adotivos. O ambiente fornecido pela família adotiva, aparentemente, tinha menos influência sobre o desenvolvimento da obesidade do que a composição genética da pessoa.

Na verdade, se a sua mãe biológica é obesa quando adulta, há cerca de 75% de chance que você vá ser obeso. Se a sua mãe biológica é magra, também há uma chance de 75% de que você será magro. No entanto, muitas pessoas geneticamente predispostas à obesidade não se tornam obesos ou são capazes de perder peso e mantêr-se em forma.

Fatores ambientais: embora os genes sejam um fator importante em muitos casos de obesidade, o meio-ambiente também desempenha um papel significativo. Os fatores ambientais incluem comportamentos de estilo de vida, tais como hábitos alimentares e de atividade física.

Atividade física: indivíduos ativos requerem mais calorias do que os menos ativos para manter seu peso. Além disso, a atividade física tende a diminuir o apetite em indivíduos obesos, aumentando a capacidade do organismo de metabolizar a gordura, preferencialmente, como fonte de energia. Grande parte do aumento na obesidade nos últimos 20 anos está relacionado a diminuição do nível de atividade física diária das pessoas.

Fatores psicológicos: fatores psicológicos também influenciam os hábitos alimentares e na obesidade. Muitas pessoas comem como resposta a emoções negativas como tristeza, tédio ou raiva. Pessoas que têm dificuldade com a gestão do peso podem estar enfrentando problemas emocionais e psicológicos; cerca de 30% das pessoas que procuram tratamento para problemas de peso tem sérias dificuldades com a compulsão alimentar.

Doenças: embora não seja tão comum como muitos acreditam, existem algumas doenças que podem causar obesidade. Estas incluem problemas hormonais como hipotireoidismo (tireóide agindo pouco retarda o metabolismo), depressão, e algumas doenças raras do cérebro que podem levar a excessos.

Medicação: certas drogas, como esteróides e alguns antidepressivos podem causar ganho de peso excessivo.